Browsing Tag

decor

Ah, as cores…!

Uncategorized

As cores na decorao

Vamos ter aqui no blog, a partir desse post, uma categoria específica sobre as cores. A princípio 1 post para cada cor, falando sobre o uso da mesma na decoração do quarto, comentando um pouco sobre a sensação e mencionando detalhes importantes. Em um momento posterior, os posts vão ficar focados em fotografias de ambientes com uma cor específica, combinaçãoes de cores e etc.

“Porque a maior dor do vento é não ser colorido”
                          (Mário Quintanda)

Para começar, vou destacar alguns pontos interessantes sobre esse assunto, retirados do livro “a teoria das cores” da autora Ana Maria Rambauske:

  • Definição de cor:

É a sensação provocada pela ação da luz sobre o órgão da visão. Seu aparecimento está condicionado à existência de 2 elementos: a luz (objeto físico, agindo como estímulo); o olho(aparelho receptor, funcionado como decifrador do fluxo luminoso, decompondo-o ou alternando-o através da função seletora da retina).
A cor característica de cada corpo, prende-se à faculdade que este tem de absorver uma parte da luz incidente e refletir a outra.

  • Processo da visão:

O olho tem a missão de dirigir radiações visíveis à membrana reticular.
Esta recolhe o estímulo físico (estímulo de cor) e o transforma em excitação fisiológica. A excitação é dirigida por cada um dos receptores da mensagem reticular por meio de fibras nervosas ao nervo ótico e por este ao cérebro. Na “régio calcarina” que está conectada com a córtex cerebral, esta excitação se transforma em uma sensação e esta por sua vez, em visão consciente.

  • Harmonia das cores:
Harmonizar é compor, construir um conjunto, onde todas as cores, compostas umas em função das outras, contribuem para formá-lo. Significa equilíbrio, simetria de forças. Duas ou mais cores são harmoniosas, quando elas resultam numa mistura cinza neutro. O principio fundamental da harmonia deriva da lei das complementares exigido pela fisiologia. Harmonia na música, é a união dos sons acordes, a combinação entre os que integram um esquema. As cores são para um pintor (artista, arquiteto, etc.) o que as notas são para a música.
A natureza nos dá uma sábia lição na harmonização das cores, deixando as puras e fortes para os pequenos acentos e harmonizando as áreas menores com cores pouco saturadas e com variações outras. As grandes massas de uma paisagem são gradações baixas, matizes sutis, cinzas e castanhos. Os pequenos acentos de cores puras que animam o conjunto ou esquema, são flores, insetos, pássaros, etc. Portanto, não se deve procurar o efeito isolado da cor, mas o esquema agradável do qual ela participa, porque em nossa organização estética, as cores, além dos fatores de beleza e atração, exercem ação estimulante tão importante como a luz do sol.

A Natureza, a harmonia das harmonias, oferece ao homem o espetáculo das cores. Todos “olham as cores de maneira idêntica, porém sentem-nas de formas diferentes”.

  • A cor em relação com o nível de iluminação:

Freqüentemente a escolha das cores é conseqüência da função de
utilização e da moda.
Se duas paredes são revestidas com a mesma pintura, a que receber
mais luz parecerá mais viva, a que receber menos, parecerá mais sombria.
Esta diferença do nível de iluminação provocará modificações na
visualização do espaço.

  1. Paredes opostas às janelas: A cor de uma parede adquire seu verdadeiro valor, quando a luz incide em ângulo reto, de modo que quando ele é iluminada diretamente de frente por uma janela, as condições são ótimas para obter o melhor valor da cor. Consequentemente, se obtém um bom impacto a partir de cores relativamente claras e pálidas. As cores vivas ou sombras não se aconselham senão em casos particulares, ou quando a luz proveniente de janelas é excessiva. De outra forma, elas correm o risco de desequilibrar a harmonia colorida da peça.
  2. Paredes em ângulo reto com a janela: Quando uma janela está colocada próximo e em ângulo reto, uma grande parte da luz é refletida pela superfície. Se desejarmos que a cor destas paredes apresente um impacto visual normal, a cor utilizada deverá ser mais sombria e mais saturada. As cores vivas serão muito apropriadas. Quando a janela se encontra a um metro ou dois de uma parede adjacente, a maior parte da luz penetrará a superfície da pintura, e o valor da cor será mais elevado e mais parecida com o que ela é normalmente.
  3. Paredes ao lado da janela: O costume é pintar as paredes ao lado das janelas em cores claras, de modo a reduzir ao mínimo o ofuscamento entre a janela e a parede adjacente. As cores na gama dos brancos e dos cinzas claros, são convenientes, enquanto que as tintas claras são indicadas quando se deseja obter um impacto.
  4. Paredes iluminadas pelo teto: O aspecto da cor das paredes depende, muito, da distribuição direcional da iluminação proveniente das fontes naturais e luz artificial. Com a iluminação indireta, as paredes são iluminadas de uma forma relativamente uniforme e a diferença de iluminação nos cantos é reduzida ao mínimo. As cores mais indicadas são as tintas de médias a claras (35-60% de fator de reflexão) quando o nível de iluminação em lux é relativamente baixo; é necessário utilizar cores que tem o fator de reflexão elevado, para obter bons resultados. Com a iluminação direta, obtém-se geralmente os mesmos aspectos de cores que com uma iluminação natural.

A primeira parte dessa categoria de posts terá a seguinte ordem de ambientes nas cores:

  1. Preto
  2. Branco
  3. Vermelho
  4. Azul
  5. Amarelo
  6. Verde
  7. Laranja
  8. Violeta
  9. Rosa
  10. Cinza
  11. Bege
  12. Marrom

Qualquer dúvida ou sugestão, podem comentar!

assinatura blog