xilogravura

Xilogravura

Arte

xilogravura

Semestre passado eu participei de uma disciplina chamada “introdução à gravura”, que é uma matéria obrigatória do curso de artes visuais lá na UNB. Já fiz um post anterior comentando sobre uma das coisas que produzimos nessa mesma disciplina – o ex libris – que utilizava basicamente o mesmo processo da xilogravura, com a diferença de que o material utilizado era a borracha e não a madeira (no meu caso acabei fazendo nos dois materiais porque tive muita dificuldade em lidar com a borracha). No post de hoje eu quero falar mais sobre a xilogravura em si e sobre as minhas primeiras impressões.

“Xilogravura ou xilografia significa gravura em madeira. É uma antiga técnica, de origem chinesa, em que o artesão utiliza um pedaço de madeira para entalhar um desenho, deixando em relevo a parte que pretende fazer a reprodução. Em seguida, utiliza tinta para pintar a parte em relevo do desenho. Na fase final, é utilizado um tipo de prensa para exercer pressão e revelar a imagem no papel ou outro suporte. Um detalhe importante é que o desenho sai ao contrário do que foi talhado, o que exige um maior trabalho ao artesão.” (Fonte: Wikipedia)

O nosso desafio era produzir três cópias idênticas utilizando a mesma matriz (matriz é esse molde de madeira talhado com o meu desenho). Teoricamente parece algo simples, mas na prática é um trabalho enorme e parece impossível fazer uma cópia exatamente igual a outra. Nós utilizamos goivas para fazer o encave na madeira (e de brinde ganhamos alguns cortes nos dedos hehe), tinta offset (que leva uma vida inteira pra secar) e nossa prensa para realizar a impressão era uma colher de pau (!).

2017-07-16 06.27.12 1xilogravura

xilogravuraxilogravura

Minha primeiro xilogravura era o desenho da mulher com algumas listras de fundo. Mas na segunda parte do trabalho, eu retirei essas listras da matriz (tornou-se uma matriz perdida) e gravei outro fundo na parte de trás da madeira. Então era necessário imprimir primeiro um lado e em seguida, cuidadosamente, imprimir o outro lado. Eu gostei bastante do resultado e acho que esse é um dos meus trabalhos preferidos, que eu chamei de “selfie“. As impressões no papel vegetal foram as melhores porque era possível visualizar claramente os locais em que a tinta já estava se prendendo ao papel e onde ainda haviam falhas a serem corrigidas.

xilogravuraxilogravura

Depois de experimentar todo esse processo acho que eu comecei a valorizar mais essa arte <3

Beijos e até mais!

You Might Also Like

1 Comment

  • Reply
    Loucuras anunciadas Goya - Opinião da designer
    13 Fevereiro, 2018 at 11:23 pm

    […] em Brasília, Na Caixa cultural. Eu gostei muito da exposição, que é composta principalmente por gravuras. São traços complexos e executados com muita perfeição, além disso, o tema das obras é muito […]

  • Leave a Reply