thyeme-figueiredo-window

Rotina de isolamento

Diário

Na última noite eu dormi durante 10 horas, quase sem nenhuma interrupção, o que me permitiu recuperar a energia porque há cinco noites seguidas eu não conseguia descansar e vinha tendo sonhos muito esquisitos e incômodos. Esse problema atingiu o ápice na noite de ontem, quando eu resolvi levantar e começar o dia mesmo sem realmente ter dormido…e passei o dia péssima.

dinha-cachorro
Dinha descansando enquanto olha para fora da varanda

O lado bom é que eu fiquei tão tão cansada que fui deitar bem cedo e com a ajuda de meio dramin eu garanti que ia conseguir realmente apagar. Não tomo nenhum tipo de remédio controlado, e evito até mesmo tomar analgésicos com frequência, inclusive é totalmente desaconselhável tomar dramin para dormir porque na verdade ele é um remédio para enjoo e tem vários efeitos colaterais. Mas dessa vez eu precisei.

Bom, e daí que hoje eu tentei desacelerar um pouco a minha rotina, que na maioria dos dias está bem legal. Claramente ela não estava boa o suficiente pra que eu me mantenha saudável, por isso a tentativa de diminuir o agito. Agora estou dividindo melhor as tarefas, dando pausas mais longas entre uma tarefa e outra e evitando todas as notícias (meu namorado acompanha tudo, então se tiver algo muito importante ele vai me falar). Amanhã eu vou limpar a varanda (moro em apartamento) e tentar passar mais tempo lá.

fotografia-area-externa
Vista da minha varanda, com aproximação do zoom haha

Algumas coisas que notei que me ajudaram a relaxar mais por estar isolada foi uma série da Netflix chamada moving art que não tem nenhum tipo de diálogo e consiste em uma série de gravações lindíssimas de cenas da natureza, ao ar livre. Além disso, cada episódio tem um tema. Também pesquisei no spotify por “sons da natureza” e descobri várias playlists com ~sons da natureza~. Tem momentos no dia em que eu fico tão cansada de tudo! Não quero ler, não quero ver série, nem filme, não quero ouvir música, nem podcast…só quero ficar quieta e, ao mesmo tempo, sem ter que lidar com os meus pensamentos gritando.

Mesmo meditando, fazendo yoga e fazendo exercícios físicos (uso o aplicativo lojong, o canal “Fernanda yoga” e o aplicativo 8fit para essas coisas, respectivamente), sempre tem um momento do dia em que eu não aguento mais nada e para suportar isso, esse moving art e os sons da natureza se mostraram muito efetivos.

Eu continuo trabalhando e estou tendo aula EAD dia de terça e quinta, o que tem me ajudado a ficar ocupada, mesmo quando eu quero ceder a preguiça. Sei que isso não funciona pra todo mundo, mas pra mim é um fator motivacional e espero poder sair desse período saudável e pronta pra me readapitar à rotina de antes.

Fotos: Thyeme Figueiredo

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply