2014-05-17%252017.21.36%255B7%255D

Aquele da história constrangedora e inesquecível

Diário

2014-05-17 17.21.36
Oi!

Finalmente melhorei da terrível gripe. Ainda não estou bem o suficiente para dizer que estou saudável, mas pelo menos consegui ter um dia legal e decente para um sábado (fora de casa e tal).
Perry tentou fugir do banho se escondendo embaixo do armário da pia, mas felizmente para mim e infelizmente para ele, agora tem um cachorro cheiroso e escovado dormindo nos meus pés. Lá pelas 16:00 fui ver uma apresentação de balé, da irmanzinha do meu namorado e vouparecermuitomalvadamasprecisodizer que a melhor parte da apresentação foi quando uma garotinha abriu o berreiro e ficou emburrada no meio do ~palco~ enquanto todas as outras meninas dançavam. Foi engraçado. Coitadinha, ela nem imagina que esse dia na vida dela é um daqueles que alguém sempre vai contar nas festas de família e todos vão rir “lembra do dia que a fulana chorou sozinha na apresentação de balé?”. Talvez não, mas é provável que aconteça.
Depois fomos ao McDonald’s que inaugurou há alguns dias na esquina da rua do prédio em que eu moro. Tudo bem que é o primeiro McDonald’s da cidade, mas do jeito que está lotando todo santo dia, eu diria que esse tem alguma coisa em especial ao invés de só vender hambúrguer, refrigerante e milk shake. O lanche da maçã e mel (a lanchonete do outro lado da esquina) é mais gostoso e mais barato, mas tenho a impressão de que logo vai virar lenda. Uma pena.
Agora é que vem a parte esquisita do dia (sempre tem). Odeio baratas e há uns dois meses mais ou menos, elas começaram a aparecer no meu apartamento. Muitas. De início eram só baratas pequenas, mas elas foram ficando gigantes, se reproduzindo e etc. Só recentemente consegui equilibrar essa crítica e terrível situação, mas algumas continuaram aparecendo no banheiro. Tentei jogar remédio no ralo, manter fechado na maior parte do tempo e várias outras coisas e nada deu certo. Hoje descobri onde era o esconderijo delas: sob a touca de banho que eu deixava pendurada no registro do chuveiro! Há meses que eu não usava a bendita touca e não me incomodei em tirá-la do lugar nas vezes em que lavei o banheiro, também nunca imaginei que baratas pudessem se reproduzir ali…cá estou, tentada a vasculhar todos os cantos do apartamento em que não mexo com muita frequência, vai que.
A foto desse post tirei quando saímos da apresentação de balé – olhei pra cima e achei bonito. #dia12
Beijos!
Thyeme Figueiredo

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply